sábado, 10 de julho de 2010

Neruda

.

"Morre lentamente,
quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente,
quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente,
quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajecto, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma cor nova ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente,
quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente,
quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco, e os pontos sobre os iss em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente o que resgata o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente,
quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente,
quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incessante.
Morre lentamente,
quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não lhe responde quando lhe perguntam algo que não sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.
Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade".



Pablo Neruda



Nota: Sem tempo para preparar nada a nível fotográfico, recorri á net para ilustrar este texto.


.

7 comentários:

Hugo de Macedo disse...

Neruda é sempre fantástico, um dos meus autores preferidos.

Bom fim-de-semana.

BRANCAMAR disse...

E recorreste muito bem, Neruda era além de um genial poeta um homem de olhar profundo, de rosto marcado pela humanidade, por tudo isso um homem charmono, naquilo que para mim define o charme de uma pessoa.

Aqui o seu rosto tem uma definição marcante do que foi a sua luta pela humanidade e o olhar deixa chegar longe, ao fundo da sua alma.

Beijinhos
Branca

José Manuel Vilhena disse...

A praticar,urgentemente.Devia aprender-se...também a ler...com textos assim!
:)

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo post sbre P. Neruda...Espectacular....
Beijos

. intemporal . disse...

.

. neruda foi, é e será sempre uma enorm.íssima ilustração .

.

. na ascese da palavra como adágio corrente .

.

. um beijo .

.

Raul Martins disse...

Quase que poderíamos chamar a isto um "projecto" de vida.
.
Não conhecia este texto de Neruda que oportunamente levarei comigo.

Salva disse...

Ola Margarida

Neruda é sempre Neruda. Muore lentamente......una delle mie poesie preferite di questo incredibile poeta.

Ho a casa le sue venti poesie d'amore lette da lui con la voce originale. Mitico!!!!

Conosci il film: IL POSTINO?

Tratta di un postino che tramite le lezioni del suo maestro Pablo Neruda (Philippe Noiret), conquista la donna dei suoi sogni. Se lo trovi, guardalo! consigliabile!!

Un bacio,

Salva :)